17/10/14 · Reblog · 16 Notes · (Via /source)
Pés para que se eu tenho asas para voar.
Frida Kahlo (via imunidades)
17/10/14 · Reblog · 185 Notes · (Via /source)
Então, se é pra ser assim, então que seja. Se é pra ser, que seja um daqueles amores inspiradores. Se é pra ser, que não seja em vão.
Ele, a melhor parte de mim. (via docenada)
17/10/14 · Reblog · 14097 Notes · (Via /source)
Tudo destruído por briguinhas à toa. Implicâncias por nada. Ficar puto por tudo e por nada. Dia a dia, ano a ano, ralando. Em vez de se ajudar um ao outro, a gente se cortava todos os dias, por uma coisa e outra. Uma aporrinhação infindável. Torna-se uma competição barata. E, uma vez que a gente entra, vira um hábito. Parece que não vai conseguir sair. A gente quase não quer sair. E de repente sai. Completamente.
Charles Bukowski.  (via eternue)
16/10/14 · Reblog · 31118 Notes · (Via /source)
Preguiça de fazer amizades, de me apaixonar, de ser feliz. Essas coisas dão trabalho, me acomodei, quem me quiser que venha, eu não vou atrás de ninguém.
Caio Augusto Leite.   (via orientei)
16/10/14 · Reblog · 147 Notes · (Via /source)
Podem desligar, assinem os papéis, estou me dando alta pra viver..
Fresno. (via reclinado)
16/10/14 · Reblog · 12767 Notes · (Via /source)
Acho que no fundo somos sempre sós. Pode ser que você encontre um amor, um punhado de amigos, o conforto familiar. Mas ninguém te livra dos pesos da vida. A gente nasce e morre sozinho. E tudo bem, tudo bem, não tem drama nenhum nisso. É claro que é bom ter gente pra rir e chorar, mas entenda: no fundo é sempre você. E você.
Clarissa Corrêa.   (via clamam)
14/10/14 · Reblog · 21372 Notes · (Via /source)
O café. Eu sou o café. Ás vezes sou amargo, ás vezes doce. Ás vezes quente demais, ás vezes frio. Ás vezes bebido pela metade, ás vezes esquecido. Ás vezes pecando em doçura, ás vezes pecando em amargura. Ás vezes servido acompanhado, ás vezes sozinho.
Bruno Grey.   (via publicadora)
14/10/14 · Reblog · 7175 Notes · (Via /source)
Me sinto bem em não participar de nada. Me alegra não estar apaixonado e não estar de bem com o mundo. Gosto de me sentir estranho a tudo.
Charles Bukowski  (via pronomiar)

top ↑